menu

20/06/2017

Antiga guerra nuclear e risco atual, DNA cósmico, aliens governo, bunkers

****NOVO FORMATO COM ÁUDIO****
***ESTE DOCUMENTÁRIO ESTÁ DIVIDIDO EM SEU INTERIOR EM TRÊS PARTES***

Grande parte da humanidade pertence a algumas origens genéticas mais extraterrestres que terrestres... Será possível, sendo uma civilização com um DNA cósmico, ainda sermos governados por uma elite ditatorial? Algumas entidades, com sagaz astúcia souberam se colocar nos primeiros postos das monarquias e governos desde muito tempo até nossos dias, para, assim, nos governar, promovendo guerras e invasões.
E o que se sabe a respeito de algumas gigantescas guerras nucleares que houve em várias regiões da Terra, como no caso de Sodoma e Gomorra ou da destruição por meio de bombas nucleares na antiga Índia, em Mohenjo Daro, Harappa, assim como na Escócia ou no planalto central do Egito, no Brasil e em muitos outros lugares de nosso planeta?
Foram descobertos restos de grandes terrenos vitrificados e cinzas com um alto grau de radiação, comprovando cientificamente que lá ocorreram, há séculos, terríveis explosões atômicas. Será que se repetirá um próximo holocausto nuclear, como já ocorreu em antigas civilizações, ou a humanidade conseguirá reverter esse risco de destruição que aumenta cada dia mais?
É preciso saber que os Seres de Luz, durante muitos séculos, tentaram de todas as formas fazer com que não houvesse vazamentos radioativos ou guerras bélicas de tipo nuclear, pois eles conhecem muito bem os terríveis efeitos que isto geraria por centenas de anos...
Será que a Brigada Estelar e os diversos Comandos que a apoiam continuam agindo desde o cosmo, a fim de evitar que ocorra uma horrível guerra bélica nuclear em nosso planeta Terra e, para isso, não param de manifestar-se em nosso céu e também na EEI? Será que é por esse motivo que vários milionários estão construindo bunkers e esconderijos de forma muito acelerada, ou comprando ilhas em todos os lugares para assegurar-se de que nada lhes aconteça? Pelo que se observa por todos os lados, nós estamos à beira de um terrível holocausto com efeitos imprevisíveis.


11/06/2017

Atentados, Militarização, Oriente Médio, Qatar-Irã, Trump-Arábia S. Internet

****NOVO FORMATO COM ÁUDIO****
***ESTE DOCUMENTÁRIO ESTÁ DIVIDIDO EM SEU INTERIOR EM DUAS PARTES***


Cada dia que passa, vai-se perdendo mais a confiança nos governantes e, especialmente, no que está relacionado a atentados terroristas, já que em vez de dar segurança aos cidadãos, eles se veem, afinal, impossibilitados de evitar os atentados que ocorrem em todos os lugares. Com isto, parece que o Estado Profundo imperialista está desesperado para manter seu controle sobre a população, que ignora o que há por trás das sombrias obscuridades.
Mas por que ocorrem estas graves ações contra a sociedade? Será que existe negligência, embora saibam que o terrorismo não irá parar, ou haverá algo mais?
E o que fazem os Serviços de Inteligência? Por acaso não foram criados com o objetivo de seguir os terroristas e oferecer segurança aos cidadãos? Ou eles são usados para realizar a militarização dos povos e criar medo generalizado, assim como ir prendendo as pessoas sob estados de exceção como acontece com a França e agora com o Reino Unido, com tantos atentados, alarmes falsos etc., enquanto muitos acreditam que tudo isso é para sua proteção?
Ou se tratará de um encobrimento para dar mais poderes aos policiais e militares contra o terrorismo, porém ele foi criado e espalhado em todo o mundo pelos próprios governos a fim de semear a desordem e a dor em todos os lugares?
E isto tem a ver com o veto criado pelo presidente estadunidense contra cidadãos de sete países islâmicos para se proteger dos terroristas e também enfrentar a Arábia Saudita em razão dos atentados às Torres Gêmeas, mas logo viajou ao mesmo país censurado por ser terrorista com o objetivo de vender grandes quantidades de armas?
E será que por trás está a mão negra para que a guerra nessa região do Oriente Médio se evidencie, e para isso estão envolvendo Qatar para, assim, tentarem invadir o próprio Irã?